Dez Histórias para começar a ler Quadrinhos.

Vamos começar uma nova forma de apresentação aos quadrinhos. Acontecerá em três passos, os Introdutórios, os Intermediários e os Hard Level. Três níveis de leitura para quem quer se inteirar no mundo das Histórias em Quadrinho, e não incluiremos apenas as grandes empresas como DC e MARVEL, não. Também vamos ter as menores, independentes e brasileiras. Além disso, vamos reunir por público alvo só para diferenciar quem curte uma pegada mais leve e/ou filosófica e quem prefere ação.

 

Dez quadrinhos introdutórios

 

Pegada Leve + Filosófica

 

Koko Be Good:

koko

Koko be good é uma Graphic Novel (um livro contado em formato de histórias em quadrinhos) publicada em 2011 pela editora Barba Negra.  Escrito e desenhado por Jen Wang, conta a história de duas pessoas, Koko e Jon. O livro é dividido em capítulos e cada um deles mostra o ponto de vista de um personagem, assim temos que ver a situação cada vez por um ângulo antes de entender o quadro completo. Aqui encontramos indagações sobre insegurança, sobre o futuro, planos, todos os tópicos que a cabeça de um adolescente ou jovem adulto pensa quando está em crise sobre que caminhos ou decisões seguir e sobre se arrepender antes mesmo de ter começado algo.

Muito mais do que conceito filosófico sobre questões futuras, a Graphic Novel nos trás noções de amizade, companheirismo, e simples situações engraçadas da vida que nos fazem enxergar as coisas de um outro ângulo, que
mais cedo ou mais tarde vamos encontrar aquela pessoa que vai ficar do nosso lado não importando o que aconteça e que sempre podemos contar com amigos para superar barreiras e nos dar forças. Tudo isso contado com humor e peripécias de uma jovem garota impulsiva e bruta e um rapaz tímido e inseguro.

 

Valente:

Valente é uma tirinha do jornal O Globo que começou a ser publicada em 2010 e posteriormente se tornou uma história em quadrinho contínua dividida em quatro edições, nas quais as duas primeiras foram publicadas de forma independente pelo próprio autor que fazia encomendas para leitores de seu blog ou revistarias especializadas. O interessante do formato escolhido pelo autor é que se assemelha às historias em quadrinhos do Garfield e Snoopy dos anos 90, formato usado especificamente para compilados de tirinhas, onde o comprimento horizontal é maior que o vertical (como mostrado na imagem abaixo). Devido a isso a história já se torna diferenciada, sem falar que o clima de dentro, a ingenuidade e doçura tanto do enredo quanto do traço nos dão uma impressão mais inocente e vintage da publicação. Com arte e roteiro de Victor Cafaggi, Valente faz analogias a personagens do mundo animal representando seres humanos e seus problemas cotidianos (Exatamente como em Fantastic Mr. Fox, para os fãs de Wes Anderson).

Conta a história de um Pastor Alemão no ensino fundamental que se encontra com hormônios a flor da pele, divido entre jogos de RPG, amigos e flan. Ele se vê com uma paixão platônica e faz de tudo para investir nela. Assim começa a saga de Valente, que iria enfrentar inúmeras aventuras com o amor e seus amigos, ser magoado, magoar os outros também e entender que ter alguém para amar não significa esquecer de si mesmo. Como o próprio autor diz  “ fala sobre como os diferentes parceiros que encontramos pelo caminho e todas as experiências que passamos ao lado eles influenciam em quem somos e em quem vamos nos tornar”

capa-valente-por-opcao

 

Os Pequenos Perpétuos:

Pequenos Perpétuos é uma coletânea de histórias baseadas no universo de Sandman de Neil Gaiman. Criado por Jill Thompson, o encadernado mostra a visão de Delirium, um dos Perpétuos. Delirium é uma/um personagem impar, o perpétuo mais novo.  Na história ela perde seu cão de estimação Bamabás e começa sua busca por ele. Para isso ela visita o reino de cada um de seus irmãos, Destino, Destruição, Morte, Sonho, Desejo e Desespero o que nos explica aos poucos e de forma sutil como cada um deles se perpetua e como cada um está cumprindo suas funções.

Panini-lança-Os-Pequenos-Perpétuos-de-Jill-Thompson

 

Miss Marvel: Nada Normal20898019

A nova Miss Marvel, escrita por G Willow Wilson é uma historia em quadrinho que deu muito o que falar, mais uma mulher entrando na Marvel para fazer o Girl Power crescer. Muito mais do que isso, uma muçulmana tentando se adaptar às regras sociais dos Estados Unidos tendo que conciliar sua cultura e sua juventude.

É interessante porque vemos que ao invés de Kamala lutar contra o que é imposto à ela e tentar se firmar (o que é comum em personagens dessa idade com uma revista inteira para serem desenvolvidos) vemos ela expressando respeito por seus pais e tentando não deixar sua vida secreta de super heroína afetar na sua relação familiar.

Uma jovem que sofre constante preconceito, por meio de brincadeiras sutis que muitos não enxergam como preconceito arriscando sua pele pra salvar essas pessoas que a descriminam.

 

Fade out : Suicídio sem dor.

Fade Out é uma HQ independente lançada pelo trio Beto Skubs, Rafael de Latorre e Marcelo Maiolo. Conta a história de um garoto que quer se matar. Simples assim, mas ele não tem certeza sobre o que acontece depois da morte, se existe um céu ou inferno e o que vai acontecer com ele depois que morrer, se “ir para um lugar melhor” é melhor do que estar aqui. Kurt (just like the Cobain) depois de vários fracassos se vê em um triangulo amoroso e uma investigação de assassinato, o que prova que sua vida não assim tão monótona como ele pensa, bom, em partes.

Vemos muito influências de temas como o desajuste psicológico de jovens na atualidade e doses de niilismo. Pode ser teoria da conspiração, mas pelo nome dado ao personagem e a forma como ele pensa em cometer suicídio, nos faz pensar que os criadores teorizaram o por quê nunca encontrado de um dos grandes astros da música ter se matado.

2020bc8c-5b17-44da-b01f-b70ef3ff2674-640x480

 

 

Enredo + Ação

 

Shazam : Com uma palavra mágica…image_gallery

Escrito por Geoff Johns com arte de Gary Frank, Shazam: Com uma palavra mágica… nos trás uma releitura e nova origem do personagem Billy Batson. Shazam foi criado na década de 40, a Era de Ouro dos quadrinhos, onde todos eram ingênuos e doces e durante muito tempo, talvez por seu alter ego ser uma criança, o personagem se manteve com esse estigma, pelo menos até agora. Os Novos 52 vieram para mudar vários personagens (Wally West que o diga) e Shazam foi um dos que sofreu uma grande alteração. Esse encadernado vem para nos mostrar uma forma diferente de enxergar as situações, onde o branco não é tão branco nem o preto tão preto. Vemos como as personalidades de Billy e Adão mudaram conforme esse reboot e que ninguém é tão mal ou tão bom assim.

Inclusive, quem se interessar por essa edição tenho resenha dela no meu Blog pessoal (http://extraextrahq.blogspot.com.br/2015/11/analise-qd-shazam-com-uma-palavra-magica.html)

 

 

Gavião Arqueiro: Minha vida como uma arma.51E52tQBRXL._SX311_BO1,204,203,200_

Escrita por Matt Fraction e com arte de David Aja, Gavião Arqueiro: Minha vida como uma arma, nos mostra o dia a dia do personagem mais invisivel dos vingadores, o Gavião Arqueiro. Sempre vemos que comparado ao Hulk ou Homem de Ferro, o Hawkeye não é lá grande coisa, mas muito pelo contrario, com essa HQ vemos como é conturbado ter que ser um membro sem poderes ou armadura super tecnológica realizando missões no mesmo nível de super poderosos.

Vemos como a SHIELD age com missões secretas internacionais envolvendo outros governos,  como é solitária a vida de um super herói que não pode se dar ao luxo de viver perto das pessoas que ama, pois a qualquer momento pode sofrer de ataques. Vemos o descaso de Clint Barton com seu próprio conforto. Mesmo que ganhe suficiente para viver bem, ele prefere melhorar a vida das pessoas ao seu redor. Sem falar de como é realmente lidar com um parceiro (não tão) mirim completamente instável e incontrolável.

Essa também é uma das HQs que fiz resenha no ExtraExtra (http://extraextrahq.blogspot.com.br/2016/03/analise-qd-hawkeye-minha-vida-como-uma.html)

 

A Hora da Aventura com Fionna e Cake.image_gallery (1)

A Hora da Aventura é uma desenho do Cartoon Network que possui muitos fãs, por isso é uma ótima opção para quem quer começar a ler hqs. Principalmente essa com o protagonistas como Fionna e Cake que tem pouquíssimas aparições no desenho. Para quem não sabe, a Fionna e Cake são personagens criados pelo rei gelado em uma terra de Ooo onde todos tem seus gêneros invertidos.

Escrito e desenhado por Natasha Allegri e publicado pela Kaboom! Studios, conta sobre como Fionna e Cake conheceram o Príncipe de Fogo, e uma luta para salvar o donzelo em perigo das garras da maléfica Rainha de Gelo.

Essa hq é para todas aquelas pessoas que sempre imaginam como os personagens agiriam se tivessem outro gênero, se algo mudaria em seus comportamentos e se não haveria uma colher de chá na luta contra o mal se Fin fosse garota. E a tresposta para todas essas perguntas é: MATHEMATICAL. A unica coisa realmente diferente entre o mundo de Fin e Fionna é o relacionamento entre Fionna e Marcel Lee, que não é tão próximo do Príncipe Chiclete como a Marceline é da Jujuba.

 

Coringa

Publicada em outubro de 2008, Coringa é uma história escrita por Brian Azarello com a arte de Lee Bermejo. Sempre que vemos uma hq com o enfoque no vilão, ela acaba sendo um sucesso nato, ainda mais quando é dos vilões mais respeitados e agoniantes do mundo dos quadrinhos. Vemos como é ser um capanga do Coringa e passar uma semana com ele  fazendo servições para o Príncipe Palhaço do Crime. Nos mostra uma visão completamente diferente do vilão, além de explicações do próprio sobre por quê e como agir em determinadas situações, acompanha uma pegada mais gangster em um clima de criação de planos e acerto de contas.

Joker - Brian Azzarello - Grafic Novel

 

Punk Rock Jesus.

Punk Rock Jesus é uma hq publicada pela Vertigo (<3) em 2012. Com arte e roteiro de Sean Murphy, a história é toda em preto e branco o que parece ter sido escolhido para criar a rebeldia dentro do quadrinho. Se passa em um futuro (que acredito que não esteja tão distante) onde o mundo inteiro se encontra em guerras religiosas. Uma grande corporação decide fazer pesquisas e se aprofundar para achar qualquer traço de DNA de Jesus. Quando encontram, chamam uma cientista de renome em genética para clonar esse DNA e poder fecundar um óvulo que trará o messias de volta ao mundo e assim provar de uma vez por todas qual religião é a correta.

A criança nasce e desde sempre é doutrinada conforme a bíblia, lhe é contada a sua história de uma “vida passada”, seu cronograma é composto de horas de estudo e carpintaria, criação de discursos de paz e tentativas de recriar os milagres conhecidos pela bíblia. Sua mãe biológica é afastada do menino que chamam de Chris (Christ) para que a mulher de pouca fé não interfira na criação do salvador.

Porém, quando o menino entra na adolescência e vê as guerras do mundo, decidi que o propósito para qual foi feito não é o que quer seguir. Ele então no dia do seu maior discurso para uma conferencia global, decide cortar o cabelo grande e mudar todo seu visual para anunciar seu retiro da vida religiosa para entrar em uma banda de punk rock.

470570

 

Claro que não queremos ditar regras, mas todos os quadrinhos selecionados foram lido com muito carinhos e escolhidos especificamente por seus atributos, espero que gostem e nos veremos no próximo (:

Gostaram das escolhas? Alguém já leu algum dos hqs citados? Deixe seu comentário (:

Sobre Plataforma Geek

Plataforma Geek

Admin da porra toda.

Veja Tambem

Campus Party Brasil e a Organização das Nações Unidas promovem o The Big Hackathon

Pioneira em sediar hackathons dentro de um grande evento no país, a Campus Party Brasil …